Principais fatores de rankeamento do Google para o e-commerce

Principais fatores de rankeamento do Google para o e-commerceO Google é o mecanismo de busca mais utilizado em todo o mundo, e possui critérios para apresentar resultados relevantes para o usuário. Para te ajudar a desenvolver as melhores estratégias de SEO, vamos descobrir quais são os principais fatores de rankeamento do Google voltados para o E-commerce.  

Com o passar dos anos, com o crescimento do E-commerce, o SEO (Searching Engine Optimization) tem se tornado cada vez mais importante e indispensável para a estratégia de Marketing Digital dos lojistas, ao passo que, com o aumento do número de lojas, a concorrência também aumentou.  

Para utilizar boas técnicas de SEO, o analista de Marketing Digital precisa conhecer os principais fatores de rankeamento do Google, pois estes influenciarão diretamente na posição em que as páginas do site aparecerão de acordo com a palavra-chave pesquisada.  

Continue lendo este artigo para entender melhor o que é SEO e quais são estes fatores determinantes para a elaboração de uma estratégia.  

 

Antes de qualquer coisa, o que é SEO? 

Sempre uma pesquisa é feita, os motores de busca como o Google fazem o rankeamento das páginas de acordo com a palavra-chave que foi utilizada e características específicas dos usuários, como localização por exemplo.  

Milhares de páginas são publicadas na internet diariamente, o que gera um alta concorrência entre elas para aparecer nas melhores posições do Google.  

É aí que entra o SEO, é feita uma otimização destas páginas que correspondem aos fatores que o Google leva em consideração para ranquear as páginas, por meio de técnicas.  Por isto, a importância do SEO para o E-commerce

Para definir quais técnicas são estas, é importante conhecer os principais fatores de rankeamento do Google. 

 

Principais fatores de rankeamento do Google para o e-commerce

Este artigo foi desenvolvido a partir de um texto publicado pela Rock Contentque conta quais são os 172 principais fatores de rankeamento do Google.  

Assim como o autor explica em seu texto, precisamos deixar claro para você que estes fatores não são definitivos, pois o Google jamais afirmou com toda certeza quais são exatamente os fatores que são levados em consideração.  

Apresentamos neste texto, os fatores que, a partir de nossa experiência com SEO e E-commerce, acreditamos ser de fato relevantes para que os lojistas levem em consideração.  

Para que fique de fácil compreensão, os fatores foram divididos nos seguintes tópicos: 

 

  • Fatores de domínio 
  • Fatores de página 
  • Fatores do site 
  • Fatores de backlinks 
  • Fatores de interação do usuário 
  • Regras do algoritmo 
  • Sinais de marca 
  • Spam no site 
  • Spam fora do site 

 

Fatores de domínio 

Um domínio é formado por diversos elementos, que juntos compõem seu endereço na internet. Estes endereços são utilizados para acessar determinadas páginas. Estes endereços também são importantes para o rankeamento.

 

1- Palavra chave no começo do domínio 

Utilizar a palavra-chave no domínio pode ajudar na classificação do site pelo Google, especialmente se ela estiver sozinha. Mas se ela estiver entre outros termos, apesar de perder um pouco de relevância, pode funcionar bem, se a mesma estiver no início do domínio.
 

2 – Palavra chave no subdomínio 

Este fator tem uma relevância pequena para a classificação, mas ainda pode ser levada em consideração, pois o Google pode observar as palavras do subdomínio para saber sobre o que é o site.  

 

3 – Histórico do Domínio 

Se o Google penalizou um domínio no passado, mesmo que ele não tenha mais o mesmo proprietário, isso ainda pode influenciar negativamente a classificação dele. 

 

Fatores da Página 

Neste tópico apresentaremos os fatores da página, que fazem parte do SEO on page, ou seja, podem ser feitos por você. 

 

4 – Rapidez no carregamento 

A partir do ano de 2010 este fator passou a fazer parte dos critérios de rankeamento do Google no desktop, e a partir de 2018 também no mobile. 

 

5– Mobile-Friendly 

Em 2015, o mobile-friendly passou a ser levado em consideração na classificação pelo Google, ou seja, para ganhar pontos neste fator, os sites precisaram se adequar e aplicar layouts responsivos. 

 

6 – Conteúdo escondido por CSS ou JavaScript 

Se for necessário clicar em algum botão em sua página para que determinado conteúdo seja exibido, pode ser que este não seja indexado pelo Google. 

 

7 – Canonical Tag 

Caso você possua mais de uma página em seu site com o mesmo conteúdo, a Canonical Tag informa ao Google qual delas é a mais relevante e impede que o mesmo penalize sua página por conteúdo duplicado.  

 

8 – Links quebrados 

Se em seu site houver muitos links quebrados (aqueles que direcionam ao erro 404), o Google pode rebaixar seu site por má experiência para o usuário. 

 

9 – Erros de HTML 

Erros de programação podem rebaixar o site também por entregarem uma má experiência para usuários, isto inclui, por exemplo, comandos e/ou botões que não funcionam. 

 

10 – Posição da página no site 

Quanto mais próxima à home uma página está, maiores as chances de ela receber uma classificação melhor. Ao contrário de páginas que são encontradas mais a fundo no site. 

 

11 – Categoria da página 

Para garantir pontos com o Google, a página precisa estar inserida em uma categoria que faça sentido, para que não fique confuso para o usuário. Por exemplo, um e-commerce de jóias tem uma categoria “anéis”, mas com páginas de colares lá dentro. Este certamente perderá pontos no rankeamento. 

 

Fatores de conteúdo 

A seguir, estão os principais fatores de rankeamento do Google para o e-commerce em relação ao conteúdo da página. Os fatores de conteúdo também fazem parte do SEO on page.  

 

12 – Palavra-chave na title tag 

Um dos fatores mais importantes on page é a title tag, que identifica o título da página para o Google, “dizendo” a ele qual o tema principal da página. Se a palavra-chave estiver no início da Title Tag é ainda melhor. 

 

13 – Palavra-chave no conteúdo principal 

A posição da palavra-chave dentro da página influencia na classificação do Google. A melhor posição é dentro do Conteúdo, que tem mais relevância do que a Header, SidebarCallout e Footer 

 

14 – Palavra chave no início do texto 

Quando a Palavra-chave aparece nas primeiras 100 palavras do texto,o algoritmo entende que ela é importante para a página.  

 

15 – Palavra-chave na URL 

Este é um fator de rankeamento menos relevante, mas que ainda faz diferença. Se a palavra-chave aparece na URL, significa que ela tem mais importância para a página. 

 

16 – Palavra-chave nas imagens 

O algoritmo do Google não consegue ler imagens, por isso é importante que a palavra-chave esteja no nome do arquivo, no texto alternativo e no seu entorno.  

 

17 – TF-IDF 

Antes, a densidade de palavras-chave era levada em consideração pelo Google para o rankeamento. No entanto, o fator foi substituído pelo TF-IDF, um modelo de cálculo que mede a relevância dos termos da página. Desta forma, não é necessário usar a palavra-chave repetidamente no texto, pois o algoritmo identifica também sinônimos. 

 

18 – Originalidade do Conteúdo 

Para não ser penalizado pelo Google, todos os conteúdos das páginas precisam ser originais, sem cópias. 

 

19 – Linguagem 

Conteúdos que possuem erros de português não dão uma boa leitura para os usuários e podem ser classificados negativamente. 

 

20 – Conteúdo suplementar útil 

Quando o conteúdo suplementar, como demonstrado abaixo, é útil para o usuário, ajuda a página a ganhar pontinhos na classificação. 

 

21 – Otimização de imagens 

As imagens devem ser comprimidas sem perder a qualidade, para ajudar no SEO, pois quando são muito grandes, aumentam o tempo de carregamento da página. 

 

22– Uso de conteúdo de multimidia 

Conteúdos multimidia, como imagens e vídeos, ajudam no rankeamento, pois contribuem para com a experiência do usuário. 

 

23– Número de links internos para a página 

Os links internos para páginas fazem com que o algoritmo do Google compreenda a relevância das mesmas e melhoram o rankeamento. Mas é importante levar em consideração que não será suficiente encher o site de links de direcionamento para estas páginas, os links precisam vir de páginas que também tenham relevância.  

 

24– Texto âncora dos links internos para a página 

O texto âncora ajuda o Google a entender do que se trata a página linkada, o que também contribui para o rankeamento. 

 

25 – Comprimento da URL 

URLs muito compridas e com caracteres aleatórios deixam o usuário confuso e atrapalham a sua experiência. Utilize sempre URLs simples e diretas. 

 

Fatores do Site 

Estes são os fatores do próprio site fazem parte dos principais fatores de rankeamento do Google para o e-commerce:

 

26 – Usabilidade do site 

Sites que entregam ao usuário uma navegação fácil e intuitiva ganham pontos no rankeamento. O Google avalia isto principalmente pela taxa de rejeição e tempo de permanencia do usuário dentro do site.  

 

27 – TrustRank 

TrustRank é um critério de rankeamento do Google que avalia a página de acordo com a qualidade dos sites que fazem links para ela. 

 

28 – Informações de contato 

Sites que apresentam informações de contato são vistos como confiáveis pelo Google e ganham pontos no rankeamento.  

 

29 – Termos de serviço e privacidade 

A apresentação dos termos de serviço e de privacidade para o usuário também é um fator levado em consideração pelo Google, que vê sites que fazem isso como confiáveis.  

 

30 – Arquitetura do site 

O site precisa ter uma arquitetura que faça sentido para o usuário (e para o Google) para ser classificado de forma positiva pelo algotitmo. 

 

31– Breadcrumbs 

Os Breadcrumbs são levados em consideração pelo Google para o rankeamento, pois ajudam o usuário a se localizarem em relação à arquitetura do site.  

 

32 – Uso do sitemap 

O Sitemap.xml é um arquivo que mostra para o Google todas as páginas de seu site, para auxiliar na identificação e indexação. 

 

33 – Disponibilidade do site 

Sites que costumam ficar muito tempo fora do ar podem ser considerados como inexistentes e serem excluídos do rankeamento. 

 

34 – Certificado SSL e protocolo HTTPS 

O uso do HTTPS favorece o site tanto em relação ao SEO, quanto à confiança e credibilidade do usuário. 

 

Fatores de interação do usuário 

Além do site e conteúdo, o comportamento do usuário também é analisado pelo Google para identificar quais páginas são mais relevantes. 

 

35 – Tráfego direto 

O tráfego direto, ou seja, usuários que digitam a URL da página diretamente para acessá-la, influencia positivamente o rankeamento. 

 

36 – Comentários 

Páginas que recebem muitos comentários ganham pontos com o algoritmo do Google, pois isto é um indicador de que o conteúdo desta página é relevante. 

 

Fatores de Backlinks 

Backlinks são links que uma página recebe de outras páginas e sites, ou seja, já não fazem mais parte do SEO on page, pois estão fora do seu controle.  

 

37 – Pagerank 

Pagerank mede a relevância de uma página a partir do tipo de links que a mesma recebe. 

 

38 – Backlinks naturais 

A página deve receber backlinks de forma natural, ou seja, se começar a receber muitos, o Google pode achar que a mesma esta praticando black hat e a penalizar.

 

39 – Número de páginas com backlinks 

Quanto maior for o número de páginas que está fazendo backlinks para a sua, maior será a sua relevância perante o algoritmo do Google.  

 

40 – Popularidade das páginas 

Receber backlinks de páginas que recebem muitos backlinks aumentam a autoridade da sua página e rankeamento 

 

41 – Autoridade do site 

Ganhar backlinks de páginas que são referências no assunto, gera mais pontos no rankeamento da sua página. 

 

42– Nicho da página 

Ganhar um backlink de uma página que é do mesmo nicho conta mais pontos para o algoritmo do Google. 

 

43 – Posição do backlink na página 

Backlinks dentro do conteúdo, são mais valiosos para o Google em comparação a outras posições. Vale ainda mais pontos com o algoritmo se o backlink estiver dentre as primeiras 100 palavras. 

 

44 – Backlinks da homepage 

Os backlinks que são feitos de homepages possuem mais relevância do que de outras páginas. 

 

45 – Backlinks de concorrentes 

Receber backlinks de concorrentes também é algo de muito peso para o rankeamento, uma vez que o Google vai enxergar a página que recebeu o link como uma verdadeira autoridade no assunto. 

 

46 – Backlinks de sites de má qualidade 

Se receber backlinks de sites populares melhoram a posição da página no ranking, receber de sites ruins por sua vez o pioram.  

 

47 – Velocidade de ganhos de backlinks 

A velocidade de ganhos de backlinks da página é avaliada pelo Google para medir a relevância da mesma, se está em crescimento o resultado é positivo, se estiver em queda a página está perdendo relevância e vai perder pontos de rankeamento.  

 

48 – Quantidade de links outbound na página 

A quantidade de links outbound que a página possui pode afetar sua posição no ranking, pois o PageRank (tópico 37), é dividido entre todos os backlinks. 

 

Regras do algoritmo 

Veja quais são as regras do algoritmo que influenciam no rankeamento: 

 

49 – Localização do usuário 

Este é um dos principais fatores de rankeamento para buscas locais, pois leva em consideração a localização do usuário para apresentar resultados. Por exemplo, se um usuário pesquisar “hamburgueria”, ele visualizará páginas de estabelecimentos próximos a ele.  

 

50 – Histórico de navegação e buscas do usuário 

Para apresentar resultados que sejam relevantes para o usuário, o Google analisa o histórico de navegação e de buscas do mesmo. Os resultados que serão melhores rankeados para ele, são aqueles que estão de acordo com suas preferências e comportamento.  

 

51 – Buscas transacionais 

Na busca em que o usuário deseja encontrar determinado produto, as páginas de e-commerce são priorizadas (boa notícia!).  

 

52 – SafeSearch 

SafeSeach é um recurso do Google que filtra os resultados, não apresentando conteúdos explícitos. Páginas que contém este tipo de conteúdo são eliminadas do ranking, mas apenas se o usuário optar por manter este recurso ativo. 

 

Sinais de marca 

Os sinais de marca auxiliam o Google a compreender quais empresas possuem mais relevância, o que influencia diretamente do rankeamento das páginas.  

 

53 – Citação da marca sem link 

Mesmo sem linkar seu site ou determinada página, o Google sabe indentificar quando a mesma é mencionada em outro site, dependendo da sua relevância.  

 

54 – Buscas pela marca no Google 

Marcas que tem uma quantidade maior de buscas no Google são vistas como mais relevantes pelo algoritmo e ganham pontos no rankeamento 

 

55 – Buscas pela marca com uma palavra-chave 

Quando muitas buscas de uma marca são feitas associadas à uma palavra-chave, fica mais fácil para o Google entender do que se trata a mesma e melhor rankear suas páginas.  

 

56 – Cadastro da empresa no Google Meu Negócio 

Empresas que tem cadastro no Google Meu Negócio apresentam ao mecanismo de busca mais evidências de que o negócio é real, e por isso, recebem uma classificação melhor.  

 

Spam on page 

Páginas que não entregam conteúdos relevantes para o usuário, não ficam bem rankeadas pelo Google. São estes os principais fatores que fazem com que o algoritmo assim as considere: 

 

57 – Links para sites de má reputação 

Páginas com links para sites de má reputação perdem pontos no rankeamento 

 

58 – Popups de página inteira 

Páginas que apresentam pop ups de página inteira atrapalham a experiência do usuário, e por isso, são penalizadas pelo Google.  

 

Spam off page 

Veja quais de quais técnicas de spam off page que você deve FUGIR!!! 

 

59 – Compra e venda de backlinks 

Backlinks precisam ser feitos de forma natural, por isso páginas que praticam compra e venda de backlinks são penalizadas pelo algoritmo do Google.  

 

60 – Backlinks de sites não relacionados 

Receber backlinks de sites que não estão relacionados ao próprio nicho fazem com que as páginas percam pontos no ranking. 

Agora, entendendo os principais fatores de rankeamento do Google para o e-commerce, você está pronto para desenvolver todas as suas estratégias de SEO!

Procura uma agência com profissionais qualificados de Marketing Digital para fazer para você? Clique aqui. 

Bruna Silveira

Analista de Marketing Digital na Irroba E-commerce

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *